Articles by "admin - Elementos de Fixação"

Indústria automotiva tem mais de 35 mil trabalhadores parados

Jun 9, 2015 by     Sem Comentários    Postado Por: Uncategorized

Fiat e GM resolveram paralisar a produção para baixar os estoques.
Fábrica de caminhões da Volvo encerrou turno e tem excedente de 600.

Mais de 35 mil trabalhadores da indústria automobilística estão afastados de suas funções em sete montadoras de automóveis, caminhões e ônibus. Com a produção sofrendo queda de 25,3% e atingindo o mesmo patamar de 2005, segundo a Anfavea, o jeito que as fabricantes encontraram para diminuir o impacto da crise foi colocar trabalhadores em férias coletivas ou suspender os contratos de maneira temporária, o chamado layoff.

Há um mês, o G1 fez um levantamento semelhante. Na época, o número de trabalhadores parados era de aproximadamente 10 mil pessoas, e o cenário do mercado apontava queda de 25% nas vendas e de 21,7% na produção.

Fiat
A maior fabricante de veículos do país também é a que possui mais funcionários ociosos. Segundo a marca, a produção ficará interrompida desde a última segunda-feira (8) até sexta-feira (12).

Com isso, a maior parte dos 19 mil funcionários da planta de Betim (MG) ficará ociosa. A marca já havia tomado decisão semelhante em abril. Da planta, saem 15 modelos, em mais de 70 versões.

Mercedes-Benz
Além de demitir 500 trabalhadores, a Mercedes-Benz tem 7.250 funcionários parados na fábrica de caminhões e ônibus, em São Bernardo do Campo. Destes, 7 mil estão em férias coletivas até 15 de junho e outros 250 em regime de layoff.

A crise, entretanto, não atrapalha os planos da marca de retomar a produção de automóveis no país. A empresa alemã ergue na cidade de Iracemápolis, no interior de São Paulo, uma planta para produção dos modelos Classe C e GLA. Ela fica pronta no início de 2016.

General Motors
A produção na fábrica de São Caetano do Sul está parada até 28 de junho, de acordo com o Sindicato dos Metalúrgicos da cidade. Segundo a entidade, 5,5 mil dos 10,5 mil funcionários da planta estão sem trabalhar.

Além disso, outros 1,7 mil trabalhadores da fábrica de São José dos Campos (SP) estão com os contratos suspensos por tempo indeterminado.

Hyundai CAOA
A montadora produz na cidade de Anápolis (GO) os modelos Tucson, ix35, HR e HD78. Por motivos de readequação de estoques, a marca resolveu paralisar a produção por duas semanas, entre os dias 8 e 22 de junho. Com isso, 1.650 trabalhadores estão parados.

Volkswagen
A marca afirma que tem tomado medidas para adequar o volume de produção à demanda do mercado, porém, não diz quantos trabalhadores estão parados, ou se estão de férias coletivas ou com os contratos suspensos.

O Sindicato dos Metalúrgicos do ABC, entretanto, afirma que 220 funcionários da fábrica de São Bernardo estão em layoff desde o dia 1º de junho, com duração de 5 meses. Além disso, outros 800 aderiram ao Plano de Demissões Voluntárias, o PDV, até abril.

Em São José dos Pinhais (PR), são 570 funcionários com contratos suspensos desde abril, de acordo com o Sindicato dos Metalúrgicos da Grande Curitiba. O G1 tentou entrar em contato com o Sindicato dos Metalúrgicos de Taubaté, cidade onde a Volkswagen possui fábrica, porém, não obteve retorno.

Volvo
Após greve de três semanas, a Volvo decidiu encerrar um dos dois turnos de produção na fábrica de caminhões em Curitiba, criando um excedente de 600 funcionários. Com isso, a Volvo resolveu suspender os contratos destes trabalhadores, garantindo salários e benefícios até dezembro.

Paralelamente, abriu um Plano de Demissões Voluntárias (PDV) com expectativa de adesão destes 600 funcionários.

Ford
São 234 trabalhadores da planta de São Bernardo com os contratos suspensos desde 11 de maio. A montadora afirma que não há um prazo para o término do programa. Na fábrica, é produzido o New Fiesta, além da linha de caminhões.

 

TRABALHADORES PARADOS
FIAT 19.000 (estimado)
MERCEDES-BENZ 7.250
GENERAL MOTORS 7.200
HYUNDAI CAOA 1.650
VOLKSWAGEN 790
VOLVO 600
FORD 234

Número de novas empresas cai 9,1% em abril, diz Serasa Experian

Jun 8, 2015 by     Sem Comentários    Postado Por: Uncategorized

Em abril, 168.124 empresas foram criadas contra 184.905 em março.
No acumulado do ano são 648.488 novos negócios.

 

Foram criados 168.124 novos negócios no Brasil em abril deste ano, queda de 9,1% em relação ao mês de março, quando foram abertas 184.905 novas empresas, segundo o Indicador Serasa Experian de Nascimento de Empresas. A alta é de 3,1% em comparação a abril de 2014 (163.023).

Entre janeiro e abril, foram criados 648.488 novos empreendimentos, alta de 2,5% em relação a mesmo período de 2014 (632.547). No primeiro quadrimestre do ano passado, o número de novas empresas criadas havia sido 6,9% superior ao primeiro quadrimestre de 2013.

De acordo com os economistas da Serasa Experian, a desaceleração nos primeiros quatro meses de 2015 em relação ao mesmo período do ano passado (alta de 2,5% contra crescimento de 6,9%) reflete o cenário econômico mais adverso neste período de 2015, caracterizado por redução da confiança empresarial, alta da inflação, dos juros e da taxa cambial, além do baixo dinamismo da atividade econômica.

Por natureza jurídica
O número de novos microempreendedores individuais (MEIs) surgidos em abril foi de 126.932 contra 134.803 em março, queda de 5,8%. As sociedades limitadas registraram criação de 17.443 unidades, representando queda de 15,3% em relação ao mês anterior, quando 20.602 empresas surgiram. A criação de empresas individuais caiu 20,2%, com um total de 14.965 novos negócios em abril; em março, o número foi de 18.761. O nascimento de novas empresas de outras naturezas teve queda de 18,2%, com 8.784 nascimentos em abril, contra 10.739 do mês anterior.

Segundo a Serasa, a crescente formalização dos negócios é responsável pelo aumento constante das MEIs, registrado desde o início da série histórica do indicador. Em seis anos, passaram de menos da metade dos novos empreendimentos (42,4%, em 2010) para 75,5% no último levantamento.

Por região
O Sudeste segue liderando o ranking de nascimento de empresas, com 325.141 novos negócios abertos entre janeiro e abril de 2015 ou 50,1% do total.  O Nordeste vem em segundo lugar, com 18,3% (118.566 empresas). A região Sul segue em terceiro lugar, com 16,6% de participação e 107.790 novas empresas. O Centro-Oeste registrou a abertura de 62.682 empresas e foi responsável por 9,7% de participação, seguido pela região Norte, com 34.309 novas empresas ou 5,3% do total de empreendimentos inaugurados.

A região Sul foi a que registrou maior alta no número de nascimentos (4,9%) comparando-se os meses entre janeiro e abril de 2015 com igual intervalo do ano anterior. A região Nordeste teve crescimento de 2,7% no período. Na região Centro Oeste houve alta de 2,4% e a Sudeste apresentou crescimento de 2,1%. A região Norte foi a única a apresentar queda no período (0,9%).

Por setor
O setor de serviços continua sendo o mais procurado por quem quer empreender: de janeiro a abril de 2015, 397.776 novas empresas surgiram no segmento, ou 61,3% do total. Em seguida, 195.563 empresas comerciais (30,2% do total) e, no setor industrial, foram abertas 53.105 empresas (8,2% do total) neste mesmo período.

 

fonte:globo.com

BNDES muda política, e empresas devem buscar mercado para se financiar

Jun 5, 2015 by     Sem Comentários    Postado Por: Uncategorized

SÃO PAULO (Reuters) – O Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) anunciou nesta sexta-feira mudanças na política de concessão de financiamento, definindo que empresas com receita bruta anual acima de R$ 1 bilhão e que tomarem a partir de R$ 200 milhões precisarão a partir de agora emitir debêntures (títulos de dívida de empresas).

As mudanças, anunciadas em entrevista coletiva com a Anbima (entidade que representa e autorregula as instituições financeiras), buscam incentivar a emissão de debêntures corporativas.

Segundo o diretor do BNDES Julio Raimundo, a participação do BNDES no crédito para projetos de grandes empresas deve cair em mais da metade.

 

(Por Aluísio Alves)

 

Veículos puxam queda da produção industrial de abril!!

Jun 2, 2015 by     Sem Comentários    Postado Por: Uncategorized

A redução de 1,2% da produção industrial em abril, ante março, se disseminou por 19 dos 24 ramos pesquisados pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). As principais contribuições negativas vieram dos segmentos de veículos automotores, reboques e carrocerias (-2,5%), que apresentou o sétimo mês seguido de recuo, e de perfumaria, sabões, detergentes e produtos de limpeza (-3,3%).

Outras contribuições negativas importantes vieram da indústria de máquinas, aparelhos e materiais elétricos, com baixa de 5,4%, outros equipamentos de transporte, com declínio de 8,5%, metalurgia, com recuo de 2,4%, e produtos farmacoquímicos e farmacêuticos, com decréscimo de 5,3%.

Também tiveram taxas negativas entre março e abril produtos de metal (-2,5%), produtos de borracha e de material plástico (-2,3%), bebidas (-2,2%), celulose, papel e produtos de papel (-2,2%), equipamentos de informática, produtos eletrônicos e ópticos (-3,2%), produtos alimentícios (-0,4%) e máquinas e equipamentos (-1,2%).

Já entre os cinco setores que ampliaram a produção, destacaram-se as indústrias extrativas, com crescimento de 1,5%, e coque, produtos do petróleo e biocombustíveis, também com avanço de 1,5%.

Na comparação com abril do ano passado, 23 dos 26 ramos, 66 dos 79 grupos e 69,7% dos 805 produtos pesquisados tiveram queda de produção. Entre as atividades, a de veículos automotores, reboques e carrocerias, que caiu 23,2%, exerceu a maior influência negativa sobre indústria.

 

fonte:uol.com.br

Mais rico do Brasil, Lemann ganhou US$ 605 mil por hora, calcula ‘Forbes’

Jun 2, 2015 by     Sem Comentários    Postado Por: Uncategorized

O empresário Jorge Paulo Lemann  é o homem mais rico do Brasil e também o que mais ganhou dinheiro no último ano: de 2014 para 2015, foram mais US$ 5,3 bilhões (cerca de R$ 16 bilhões), segundo a revista norte-americana “Forbes”.

Isso representa cerca de US$ 14,5 milhões por dia, ou US$ 605 mil por hora.

Sua fortuna passou de US$ 19,7 bilhões, no ranking de bilionários da “Forbes” do ano passado, para US$ 25 bilhões na lista deste ano, divulgada nesta semana.

Ex-jogador profissional de tênis, Lemann é dono da empresa de investimentos 3G Capital Partners, que possui marcas como Budweiser, Burger King e Heinz. No Brasil, ele é sócio da Ambev, fabricante de cervejas como Brahma, Skol e Antarctica.

Outros ganhadores

Depois de Lemann, quem mais ganhou dinheiro no último ano, segundo a “Forbes”, foram seus sócios: Marcell Herrmann Telles, que adicionou US$ 2,8 bilhões ao seu patrimônio, e Carlos Alberto Sicupira, com mais US$ 2,4 bilhões.

Na sequência, de acordo com a revista, aparecem o empresário Abilio Diniz, que ganhou US$ 1,6 bilhão; o banqueiro Joseph Safra, com mais US$ 1,3 bilhão; o magnata dos sapatos Alexandre Grendene Bartelle, que ganhou US$ 1 bilhão; e o cofundador do Facebook Eduardo Saverin, com mais US$ 700 milhões.

Quem perdeu

Entre os que mais perderam dinheiro, a “Forbes” destaca Eggon João da Silva, Lilian Werninghaus e Werner Ricardo Voigt, trio que controla a fabricante de equipamentos elétricos Weg. A revista afirma que a companhia foi dividida entre vários membros da família.

Outro caso é o de Victor Gradin, que transferiu seus 20% na Odebrecht aos filhos.

Jorge-Paulo-Lemann

 

O empresário Jorge Paulo Lemann, 75, é o brasileiro mais bem posicionado no ranking mundial de bilionários, no 26º lugar, segundo a revista norte-americana “Forbes”, com fortuna atual estimada em US$ 25 bilhões. Ele é dono de marcas como Budweiser, Burger King e Heinz; no Brasil, é sócio da Ambev. Clique nas fotos acima para ver outros brasileiros com mais de US$ 1 bilhão Leia mais Sergio Lima/Folhapress PODER

 

fonte:uol.com.br

Investimentos Stamper – Nova Prensa e Torno

Sep 24, 2014 by     Sem Comentários    Postado Por: Elementos de Fixação

A Stamper vem cada dia crescendo no ramo de elementos de fixação, com isso  investindo em maquinários para atender cada vez melhor nossos clientes

confira:

elementos_de_fixacao_prensa_stamper (2) elementos_de_fixacao_prensa_stamper (3) elementos_de_fixacao_prensa_stamper elementos_de_fixacao_torno_stamper (2) elementos_de_fixacao_torno_stamper (3) elementos_de_fixacao_torno_stamper (4) elementos_de_fixacao_torno_stamper

 

 

 

Stamper Ferramentaria!!!!!

Mar 11, 2014 by     Sem Comentários    Postado Por: Elementos de Fixação, Parceiros

Empresa idealizada para atender as necessidades do Grupo Stamper, porém hoje com disposição de atendimento ao mercado.

Para mais detalhes acesse: www.stamperferramentas.com.br

ferramentaria_stamper ferramentaria_stamper ferramentaria_stamper ferramentaria_stamper ferramentaria_stamper ferramentaria_stamper ferramentaria_stamper ferramentaria_stamper ferramentaria_stamper ferramentaria_stamper ferramentaria_stamper

Novo Item F.Series para freio de mão da Nova Ford F1000!!!

Feb 24, 2014 by     Sem Comentários    Postado Por: Elementos de Fixação, Parceiros

a stamper  em 2014 continua inovando por sempre desenvolver elementos de fixação, como este item para freio de mão da nova Ford F1000!!

stamper_itens_novos

 

 

elementos-de-fixacao-freio-de-mao-ford1000

Brindes de nossos Fornecedores!!

Dec 19, 2013 by     Sem Comentários    Postado Por: Parceiros

A Stamper agradece aos nossos fornecedores pelos vinhos recebidos!!

 

Amortemp, Amortrat, MCM..

vinhos